[in]diferença

N’um certo tempo não se preocupa mais com alguns detalhes que não produzem efeito.
Uma hora a quantidade de atenção dada a certos detalhes, diminui.
Como se o passar do tempo deprimisse a sensibil[idade].
Aquele pedaço no meio do todo já não faz a mesma diferença.

13 June, 2012
Anúncios

Sempre que deixo

Sempre que deixo saírem as lágrimas
Escorrerem como lágrimas…
Sempre que passo pelos rios
E as pontes passam e voltam…
Retorno mais forte, com humores estranhos…
Mas sempre sinto que perdi algo nas águas do rio
E que cresci enquanto as lágrimas me cobriam.
Sempre que passo pela casa no campo
E as gramas me chamam…
Sempre que minhas pernas sentem as folhas
E as raízes prendem meus pés…
Queria que me levassem ao chão
E me preparassem mais forte para o dia que vem
Onde está aquele rio?
E as raízes que estavam no fundo?

Novamente

Posso sentir uma última vez
Essa memória que está se apagando em minha mente…?
Deixe-me, sentir mais uma vez
Já não sei dizer se estes ou aqueles momentos foram os mais fortes.

Oh, lembro-me de quando era livre
Antes d’a vida me separar do viver.
Lembro-me dos passos no escuro, sorrindo…

Se pudesse apenas sentir um pouco mais
Aqueles dias em que viver não implicava em ser
Como gostaria apenas viver mais uma vez e não precisar
Por que para ser é preciso não saber?

Oh, esta dor, maldito som, da vida
Se soubesse como é ser assim
Conheceria a mim mesmo
Eu me explodiria em vida.

Oh, me lembro de quando éramos livres
Gloriosos dias….
Em que não se acordava para a vida mas
para viver…
Oh, as dores tinham sons, sensações
Arranhões na pele…

Se pudesse sentir apenas um pouco mais
Aqueles dias em que lembrar era com o coração
Amávamos tudo que nos cercava
E não havia quem ou aonde.

Agora, não vemos sequer seus rostos
A vida nos tirou o viver
Feras selvagens… domadas.

Posso sentir uma última vez?
Para encontrar essa boa e velha memória que está se apagando em minha mente…?

bfnk